A importância dos primeiros 1090 dias


Diversas evidências foram acumuladas nos últimos anos sobre a importância dos primeiros 1000 dias de vida de uma criança, que correspondem a fase da concepção até a idade pós-natal de dois anos, no que diz respeito ao risco de desenvolver doenças alérgicas, doenças crônicas não transmissíveis, patologias inflamatórias intestinais, asma, entre outras.


Entretanto, a saúde nutricional dos seres humanos começa a ser formada antes mesmo da gestação, devido a isso, outros autores incluem os 90 dias pré concepcionais nessa fase, totalizando 1090 dias.


Esse período de tempo relativamente curto é conhecido também como etapa de programação metabólica, que é uma área da ciência que estuda os impactos da nutrição na gestação, lactação e introdução alimentar, relacionando com o desenvolvimento ou prevenção de doenças ao longo da vida.


Sabe-se que determinados estímulos, se aplicados a uma fase sensível do desenvolvimento, são capazes de modificar, por meio de mecanismos epigenéticos, a expressão gênica do DNA, resultando em modificações adaptativas do fenótipo ao ambiente, o que pode refletir negativamente ou positivamente na saúde de cada indivíduo.


Para pessoas que buscam planejar uma gestação, estudos comprovam que maior ingestão de fast foods e menor ingestão de frutas fazem com que o sucesso reprodutivo dos casais seja adiado, além de trazer riscos de infertilidade. Portanto, a regra de ouro do Guia Alimentar da População Brasileira “prefira sempre alimentos in natura ou minimamente processados e preparações culinárias a alimentos ultraprocessados”, é também um dos elementos mais importantes no planejamento reprodutivo.


A alimentação plant based, isto é, aquela composta majoritariamente por alimentos vegetais, integrais e naturais (frutas, legumes, verduras, cereais, leguminosas, oleaginosas) é recomendada no tratamento e prevenção de diversas doenças ao longo da vida, sendo também a recomendação dietética para alimentação na gestação.


Além disso, a composição inicial da microbiota intestinal, que é favorecida primeiramente pela exposição ao parto vaginal e segundamente pelo aleitamento materno exclusivo, diminui as chances de desenvolvimento de doenças alérgicas.


Outros fatores nutricionais importantes são os hábitos alimentares dos cuidadores e a segurança alimentar (garantia de acesso a alimentos em quantidade e qualidade nutricionalmente adequadas), que podem predispor o desenvolvimento de importantes alterações endócrinas, metabólicas, imunológicas, doenças crônicas não transmissíveis e outras patologias.


Até os 6 meses de idade, a recomendação é manter o aleitamento humano exclusivo, e partir do sexto mês é iniciada a fase de introdução alimentar, também conhecida como alimentação complementar, que se estende até os dois anos de vida do bebê.


Em comparação com a alimentação dos adultos, há diferenças nos cortes, texturas e em diversos detalhes da alimentação infantil no início da vida, porém a recomendação de uma alimentação vegetal, integral e natural é a mesma.


Antes dos dois anos de idade a criança ainda não tem sua capacidade cerebral totalmente estruturada e está formando o perfil da sua microbiota intestinal, que é relacionada com a imunidade, por esses motivos é altamente contraindicado a oferta de alimentos ultraprocessados, açúcar, mel, embutidos e carnes cruas, pelo risco de toxinfecção e efeitos dopaminérgicos importantes que podem causar.


Além da alimentação, outros fatores são importantes nessa fase de programação metabólica, como exposição à poluição, mudanças nas condições de vida e exposição a medicamentos. Os 1090 dias correspondem a uma fase sensível e que se bem conduzida com a oferta de alimentos adequados, tende a resultar no desenvolvimento adequado de crianças e menor chance de adoecimento ao longo da vida.


Nutricionista Valkiria Assis

CRN-3 71936/P


Referências:

Agosti M, Tandoi F, Morlacchi L, Bossi A. Nutritional and metabolic programming during the first thousand days of life. Pediatr Med Chir. 2017 Jun 28;39(2):157. doi: 10.4081/pmc.2017.157. PMID: 28673078.


Roszkowska R, Taranta-Janusz K, Wasilewska A. Rola wczesnego programowania metabolicznego w patogenezie chorób cywilizacyjnych [The role of early-life metabolic programming in the pathogenesis of lifestyle diseases]. Dev Period Med. 2014 Oct-Dec;18(4):477-82. Polish. PMID: 25874787.


Vandenplas Y. Early Life and Nutrition and Allergy Development. Nutrients. 2022 Jan 11;14(2):282. doi: 10.3390/nu14020282. PMID: 35057463; PMCID: PMC8779902.


7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo